quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Cultivando o Reino

Quando a manhã se despedia do dia e nos cumprimentava com a tarde recém-chegada, um telefonema novamente rasgou o véu do meu dia. Aquela voz cansada, mas forte, de senhora e mulher cheia de fé, me ligava para me exalar cuidados. O marido no hospital, dor e apreensão se misturavam com a coragem nutrida pela fé que ela trazia gravada na alma e que reconhecia no seu falar firme e maternal. Ligara para saber notícias do seu marido. Contou-me os detalhes. Reverberou fé em cada enunciado descrito. No fim, perguntou-me se podia levar a eucaristia à ele no hospital. Disse que sim. Nada programado. Pedido imediato que esbarra no meu cotidiano e desalinha a minha rotina. Ao responder, não pensei nos desalinhos do dia, mas na linha reta e coerente do seguimento à Jesus. “Sim” que desalinha cotidianos, mas que me alinha ao Seu chamado; ao exercício proposto por Ele para a minha vida. “Sim” breve e de pequenas proporções que não chega a radicalizar mudanças na rota dos meus dias, mas que reconheço como exercício divino escrito no caderno da vida para me preparar para futuro “sim” que talvez me declare mudança de estação na vida. Na pedagogia de Deus vou aprendendo a dar o meu “sim” e me comprometendo mais e mais com as Suas causas. Como aluno aplicado, não perco as lições. Imagino onde Ele quer chegar e o coração arde sobre isso.

Temendo me nutrir cansaços com aquele pedido inusitado, hesitou. No seu cansaço pensou em cuidar dos meus cansaços, ela que devotadamente já tem cuidado dos cansaços do esposo amado. Agradeci a preocupação e disse que iria. No meu “sim” tem de caber a conjugação do verbo “cuidar”, “ir” e “amar” em Jesus, com Jesus e para Jesus o próximo. No “sim” de Maria, o Verbo divino se faz carne em seu ventre e veio habitar entre nós. Conjugou-se na História. No seu “sim” a Deus, Maria também conjugou os verbos “cuidar”, “ir” e “amar” com, para e em Jesus. Grávida do Senhor, foi até a casa de sua prima Isabel, cuidou e amou a prima idosa que inspirava cuidados. Quis fazer o mesmo naquela tarde. Imitar o filho, refazendo os gestos da sua mãe. Autorizado pelo meu pároco, recebi dele novos cuidados e fui.

No quarto daquele hospital, achei que conjugaria pessoalmente os verbos anunciados. Pretendia ser eu mesmo, portador do Jesus presente na Eucaristia, o portador de cuidados. Mas ali, meus olhos contemplaram aquele verbo já bem conjugado no corpo e na alma daquela mulher que segurava o corpo curvado do esposo amado naquele leito. No sofrimento declarado, não esqueceu o sorriso que cuidava da minha chegada. Naquele quarto de hospital respirei o amor que exalava em cada gesto daquela mulher, misturado ao cheiro de gratidão daquele homem que se reconhecia amado e amava. Lindo cenário para se viver a eucaristia, naquele lugar onde vidas se faziam eucaristia para os outros. Ele comungou do pão eucarístico servido e eu comunguei do cuidado e do amor que me serviam. No meu “sim”daquela tarde, cuidei e fui cuidado; alimentei e fui alimentado.

Depois, voltei para casa com a certeza de que fui e sou cuidado por Deus na humanidade daqueles que passam por mim. Meu esforço é de fazer o mesmo. Através da minha humanidade ser cuidado de Deus na vida do outro. Deus nos confia o próximo para guardá-lo e cuidá-lo. Na sua carta Encíclica Evangelium Vitae, o Papa João Paulo II nos narra e explica a passagem em Gênesis do descuido de Caim para com Abel, morto pelo próprio irmão. O primeiro fraticídio da humanidade; a primeira falta de cuidado com o mais próximo. Dizia Sumo Pontífice: “Precisamente neste sentido, se pode interpretar a resposta de Caim à pergunta do Senhor ‘onde está Abel, teu irmão?’(Gn 4,9). Sim, todo homem é ‘guarda do seu irmão’, porque Deus confia o homem ao homem.” Guardemos no coração esta certeza e exercitemos mais na vida a conjugação fiel e aplicada daqueles verbos que Deus nos confia em Suas lições. Às vezes vamos errar o tempo dos verbos, mas não tem problema. Nas lições de Deus, o verbo é para ser conjugado sempre no presente; no hoje; no agora que temos: Eu vou; eu cuido; eu amo. É o que escrevo.

Por: Fernando Lino

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Cultivando o Reino

Amados e amadas de Deus,

Como é bom acordar nesta manhã e poder repetir aquilo que Igreja nos ensina como simples oração que pode e deve ser feita sempre ao longo de nossa vida: "Jesus manso e humilde de coração: fazei o nosso coração semelhante ao vosso." Oração esta que consiste na certeza de que obter um coração manso e humilde não é processo mágico que surge da noite para o dia, mas processo lento e contínuo que exige esforço pessoal e o olhar fixo na meta. Se tenho a meta de ter um coração como o de Jesus, então devo me esforçar para viver a coerência daquele coração: que era humano e divino. Os dois juntos. Quando foi divino, foi humano e quando foi humano, foi divino. Por isso que Jesus é também visto como o arquétipo da síntese. Nele sintetiza-se o humano com o divino; o céu com a terra; a mansidão com o vigor. Buscar ter um coração semelhante é seguir o processo de cristificação que requer empenho. Na oração que citava acima, ao pedirmos a Jesus que faça o nosso coração semelhante ao dele, não significa que o fazer está apoiado apenas na ação de Jesus em nossa vida. O "fazer" é em conjunto. É ele comigo e eu com ele. Como bem dizia Padre Fábio de Melo em uma de suas canções: "O milagre se dará por duas vias/ Uma é a minha e a outra eu deixo para você/ Se você trouxer a mim a sua água/ eu devolvo vinho." Para que nosso coração se cristifique, precisamos entender que este processo nos pede abertura para que Jesus promova a ação transformadora dele. Precisa do nosso empenho de agir. Eu também devo fazer a minha parte neste processo. É o que falava em outro e-mail sobre o processo da diástole e da sístole no coração humano e que é semelhante ao nosso processo de conversão. Se quero estar cheio de Deus e vê-lo executar as mudanças na minha história,então tenho que me abrir; tenho que fazer o movimento da diástole no meu coração espiritual. Sempre que Jesus ia operar algum milagre era sempre comum ele perguntar àquele que lhe rogava a cura se tinha fé. É a abertura do outro que Jesus pede. Diástole do humano espírito para que o Santo Espírito nos transforme. Ter um coração manso e humilde de Jesus, portanto, não é tarefa mágica obtida em simples oração. Exige esforço próprio e trabalho. São Bento - fundador dos monastérios beneditinos - resumia em duas palavras a atividade de seus religiosos e que também deve ser a nossa: "Ora et labora". Ora e trabalha. Ser semelhante a Jesus é viver essa premissa: oração e trabalho. Oramos; pedimos a Jesus um coração manso e humilde como o dele, mas trabalhamos para que isto se torne possível em nossa vida.

No último domingo, nosso pároco – Padre Trópia – em sua homilia nos exortava a necessidade de evangelizarmos por todos os meios a fim de se chegar ao coração de muitos. Palavras humanas que, ao estarem comprometidas com o Evangelho, promovem mudanças concretas na vida de quem as escuta. Foi o que aconteceu ontem, quando eu e a banda Kephas – banda católica nascida em nossa paróquia – decidimos juntos evangelizarmos com esses textos, que lhes tenho escrito, a mais gente, postando-os numa coluna no blog da banda. Projeto novo que nasce da oração, mas só se concretizará no árduo trabalho conjunto. O contato ontem do Vinícius – vocalista da banda – me reacende a chama do meu compromisso com Deus, com Seu Evangelho e com a Igreja. Estaremos juntos no exercício beneditino da oração e do trabalho. Orando juntos em comunidade e trabalhando música e palavras para o cultivo do Reino de Deus no mundo. Orem todos para que o nosso exercício de cultivar o Reino seja bem sucedido. Como católicos vivemos e cremos na Eucaristia e reconhecemos que ela deve repercutir em nós o ideal de uma vida eucarística. Impregnados e configurados ao Cristo devemos levá-lo aos que passam pela nossa vida. Tal como nos afirma João Paulo II em sua Carta Encíclica Ecclesia de Eucharistia: “(...) inclui, para os que participam na Eucaristia, o compromisso de transformarem a vida, de tal forma que esta se torne, de certo modo, toda « eucarística ». São precisamente este fruto de transfiguração da existência e o empenho de transformar o mundo segundo o Evangelho que fazem brilhar a tensão escatológica da celebração eucarística e de toda a vida cristã: « Vinde, Senhor Jesus! » (cf. Ap 22, 20).”

Escrito por: Fernando Lino

terça-feira, 5 de julho de 2011

Novo Site

Galera nosso novo site está no ar! dêm uma conferida fico bem bacana vale a pena dar uma olhada!!
abraço a todos.

www.ministeriokephas.com.br

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Minha sinfonia


A orquestra começa a tocar a sinfonia. Meus ouvidos são preenchidos pelos acordes harmoniosos dos instrumentos que naquele palco executam a matemática de somar e de multiplicar sons distintos. A música ecoa por todo salão e a frequencia dos sons palmitam em meu corpo. Deus quando veio e se instalou em minha vida foi como aquela orquestra. Rompeu os meus dias com acordes harmoniosos colocando no devido lugar os desacordes de meus pensamentos e atitudes. Deus me transforma em sinfonia a cada dia. Harmoniza o chão de minha história, põe sentido na melodia dos meus sonhos e repercute na minha alma o som suave de Sua voz que canta e me encanta. Meu coração vibra tal como as cordas de um violão toda vez que o dedo de Deus me toca e me faz ser nota no conjunto de sua composição. Ele conhece bem as partituras de minha alma. Sabe os limites dos meus acordes. Sabe até onde minha nota alcança e em que tom minha vida canta melhor. Espero Nele e deixo-me conduzir pelas Suas cifras inscritas no meu caminho que me apontam a canção que Sua vontade quer executar em mim. No teatro da vida humana, a minha multifacetada história, com seus contrários e reveses, se reúne, se corporifica em uma única orquestra, uníssona e harmoniosa, em uma única face: a de Jesus. É Ele a melodia que devo cantar na minha humanidade para fazer divina as minhas notas, alcançar o tom maior do amor e compor em mim uma sinfonia de santidade.


Fernando Mendonça da Costa Lino

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Junto a ti

video

Novo email

Olá pessoal!!!

Estamos informando que nosso email para nos contactar mudou agora é esse abaixo :

contato@ministeriokephas.com.br

Um grande abraço a todos e que Jesus os abençoe

sábado, 24 de outubro de 2009

Ser praia


Amados e amadas de Deus,

Em mim se agita uma saudade constante daquele que é o tudo em minha vida. Depois que descobrimos o Cristo incrustrado em nossa história e notamos os vestígios de suas pegadas ao largo da nossa praia, logo somos tomados por uma saudade que nos inquieta e passamos a desejar ancorar, em alguma margem do tempo, o barco dos sonhos e projetos em que navegamos e largá-lo para poder seguir aquelas pegadas que nos intensificam a saudade, nos revelam que ele está próximo e nos trazem a vontade de saber para onde aquelas pegadas nos levarão.

Falta-nos, às vezes, coragem para largar o barco e deixar para trás o convés de tudo que nos habituamos. Pôr os pés descalços no chão da história e deixar-se ferir no caminho pedregoso nunca é fácil. Seguir aquelas pegadas, um desafio. O desafio é seguí-lo, seguros de que estamos fazendo a vontade daquele que o enviou e nos amou primeiro. Certos de que aquelas pegadas nos apontam para o que Deus tem sonhado para nós e usa os pés humanos do Seu filho para nos marcar e apontar o caminho. É bom acharmos suas pegadas marcadas em nós e reconhecê-las. Porém, há muitos que sabem que elas estão ali, marcadas no solo árido de suas histórias, mas figem não vê-la. Permitem que a aridez do coração desertifique a alma, quando poderiam reconhecer as marcas do ressuscitado presentes em si mesmos e assim lavrar o solo seco de seus dias convertendo o que era deserto em praia, cujo solo é banhado pelo mar do amor e da fé.

Quero sempre ser praia para poder ver as pegadas de Cristo ao largo de mim; poder vê-lo pescar em mim o que tenho de bom e oferecê-lo como alimento para este mundo faminto de ternura e bondade; vê-lo acalmando as tempestades que se abatem dentro do meu oceano, tantas vezes tempestuoso; notar que, em sua presença, a calmaria se estabelece por dentro e ser vento litoral que acalma o cansaço do meu próximo. Ser praia é deixar que as ondas do mar de Deus moldem as areias do nosso espírito e destruam os castelos do orgulho que, por vezes, construímos. É descobrir-se como praia infinita, onde nossos olhos não alcançam seu fim e deixar-se marcado para sempre pelas pegadas de Cristo que nos anunciam a Boa Nova que ele nos propõe e nos convida a viver.

Assim, nos reconhecemos como solo sagrado e que toda vez que passarmos pela vida do outro, devemos retirar as sandálias dos pés pois aquele solo é santo; é marcado, assim como eu sou, pelo amor de Deus. O respeito pelo outro passa pela certeza de que devemos ter de que o outro é praia marcada pelas pegadas de Cristo e que, toda vez que passo pela sua vida de uma forma errada, simplesmente viro onda que insiste em apagá-las. Não pode ser assim. Temos é que ser sol na vida do outro que tem o poder de solidificar aquelas marcas na areia e iluminá-las para sinalizar ao mais distraído que Jesus passa por ele.

Bom dia a todos!!! Fiquem na paz!!!

Fernando Mendonça da Costa Lino

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Bh na Paz!!


Pessoal!! não percam esse sábado! o evento que haverá na praça da estação o:
BH NA PAZ!

Não deixem de ir shows com DOminus, André Valadão emuito mais!!!

http://www.youtube.com/watch?v=y4hM3q9uy3w

Um grande abraço a todos!!!

domingo, 4 de outubro de 2009

Ao meu lado


Deus,

Tantas vezes me senti sozinha
Olhava então para o céu e tudo o que estava à minha volta
E encontrava em Deus a força daquele momento tão necessária

A verdade é que custei a enxergar
O quanto preciso Dele
E todo momento Jesus está ao meu lado
Abrindo portas e guiando me qualquer que seja o caminho

Sim, Deus sempre estende nos as suas mãos
Ele sempre olha por e para nós, querendo sempre o nosso bem
O problema é que na maioria das vezes não O valorizamos

Deus nunca nos fecha as portas
Mas nós as fechamos por não O conhecermos verdadeiramente
E ai entendemos que por mais frio que seja o dia
E por mais forte que seja a dor

Deus nunca nos fecha as portas
Mas nós as fechamos por não conhecermos Ele verdadeiramente
E ai entendemos que por mais frio que seja o dia
E por mais forte que seja a dor

Ele, Deus estará sempre do nosso lado
E é isso o que realmente importa,
Deus está qui, pertinho de nós

Não importa qual a dimensão do meu problema,
Não importa se o mundo me der as costas,
Deus está comigo
e Ele me quer sorrindo!


Larissa Martins (Crismanda da paróquia de São Pedro Apóstolo de BH/MG)

Um mar de misericórdia...‏


Amados e amadas de Deus,

Escutando, certa feita, uma música do Walmir Alencar, aprendi de um jeito mais concreto o que vem a ser a misericórdia de Deus em nossa vida e seus efeitos sobre os nossos pecados. Hoje, sempre que preciso dar um exemplo a alguém sobre o que representa a misericórdia de Deus em nossas vidas, recorro as palavras daquela canção: "Saiba que todos teus pecados/ De toda a tua vida/ É uma pequena gota que se derramou no mar/ da misericórdia infinita de Deus/ Quem poderá dizer/ que ela existiu/ Foi uma pequena gota/ o mar a consumiu". Faça a experiência de jogar uma gota de água sobre o mar. Você conseguiria recuperar aquela gota? Jamais! Ela foi absorvida pelas águas salgadas do oceano e agora é parte inseparável do mar. Quando passamos pela experiência de derramarmos nas águas da misericórdia de Deus as gotas de pecados que carregamos, descobrimos que Sua misericórdia absorve nossos pecados, transubstancia o que era pecado em amor. O mar salgado que, para o poeta Fernando Pessoa, são as lágrimas de um povo que chora, também são as lágrimas de Deus que chora ao ver o sofrimento de seus filhos. Lágrimas que salgam Sua misericórdia. Sal da vida, que existe para absorver em sí mesma a água insípida do pecado humano, transformando-a em amor, lhe devolvendo o sabor e o tempero do que é bom. Quando o padre, na celebração eucarística, derrama sobre o cálice com vinho um pouco de água, nos ensina, de igual modo, que nossos pecados, derramados no sangue de Cristo é por ele absorvido. Quando era menor, achava que o padre fazia aquilo apenas para deixar o vinho mais leve ou ainda para economizar vinho. Depois de crescido e procurando conhecer melhor a nossa Igreja, descobrí que não. Descobrí que havia muito mais naquele gesto. Havia algo implícito que meus olhos infantis não eram capazes de ainda perceber. Aquele gesto do celebrante trás em si um simbolismo dos mais lindos sobre a redenção e sobre o amor de Deus. Tente jogar um pouco de água num copo com vinho e tente, em seguida, separá-la do vinho. Não é possível. A água se transubstancia com o vinho, em outras palavras, o elemento água vira elemento vinho. Não há mais como distinguir o que é vinho do que é água. No seu sangue derramado na cruz, Jesus transubstancia nosso pecado em amor, em seu próprio sofrimento, em redenção. Quando na oração contrida e sincera derramamos nossas dores e pecados no mar infinito da misericórdia de Deus, já não será possível distinguir o que é pecado do que é amor. Tudo vira amor, assim como toda gota de chuva caída no oceano vira mar.

Fernando Costa Lino

Viver a experiência dos discípulos de Emaús na Eucaristia...‏


Amados e amadas de Deus,

A beleza da Eucaristia está na certeza que temos de que Jesus se revela a nós num simples pão que repartimos entre os irmãos e com eles comungamos o corpo do Senhor. Jesus, o Senhor e mestre, já nos dizia que não veio para ser servido, mas para servir. Ele nos atualiza esta realidade quando nos serve seu corpo e seu sangue a fim de que nos fortaleçamos Nele e tenhamos a vida eterna. Naquela passagem do Evangelho em que os discípulos de Emaús só percebem que é Jesus quem caminhava com eles quando o próprio Cristo parte o pão, descobrimos ali a mística de que Jesus se revela na Eucaristia tal como em Emaús. Na mesma passagem, conta o evangelista que, ao partir o pão e no abrir dos olhos dos dois discípulos, Jesus desapareceu e o que ficou foi o pão partido. Como é lindo notarmos, nessa passagem, que Jesus se revela na Eucaristia, na fração do pão. Sua presença física desaparece para dar lugar ao pão consagrado e agora tornado corpo do Senhor. Sua ausência física se presentifica no pão que fica à mesa dos discípulos. Por isso Ele nos pediu para fazermos isso em sua memória. Memória que no grego, cujo texto está originalmente escrito, é "anaminesis" que significa uma memória muito mais profunda; não apenas um gesto de lembrar, de recordar, mas de atualizar o gesto, fazer acontecer de novo. Em cada Eucaristia é Jesus partindo o pão para nós, sem precisar estar presente fisicamente por que Sua presença já acontece no pão e no vinho consagrados. Nossos olhos se abrem assim como se abriram os dos discípulos de Emaús e se alegram de notar que à mesa está o Senhor, mais uma vez se entregando a mim e a você na comunhão e fazendo arder os nossos corações para que saindo da missa, possamos repetir os mesmos gestos daqueles discípulos que depois de comungarem com Jesus, voltaram para o mundo para anunciar a boa nova. Em cada Eucaristia, Jesus nos pede o mesmo gesto, a mesma disposição. Se faz presente em mim para que eu O apresente a todo aquele que passar pelo meu caminho. Ao receber Jesus na Eucaristia, devo aprender a fazer o mesmo que Jesus à mesa; deixar-me desaparecer para dar lugar ao pão vivo descido do céu. Que as pessoas já não me vejam, mas vejam revelado em mim o próprio Cristo se fazendo de novo presença, agora no meu corpo e no meu sangue. Humanidade minha ofertada a Jesus para ser pão repartido entre os mais necessitados de amor, misericórdia, perdão e comunhão. Fiquem na paz!

Fernando Costa Lino

Como é falar de Deus?

Como é falar de Deus?
Ele está presente em todos os lugares,
Presente nas mínimas coisas da vida
E o mais importante, em nossos corações.
Ás vezes, não O escutamos, infelizmente...
Aliás, quantas vezes não o escutamos?
Paramos no meio da estrada e
Desistimos de seguir viagem para perto desse Deus
Porque simplesmente somos atraídos por coisas do mundo que nos são desnecessárias
O pior de tudo é acordarmos e se quer
Lembrar nos de dar um bom dia ao Homem que nos fez estar
Aqui, hoje...
Sem nem reconhecermos a maior prova de amor de todos os tempos
Tudo porque simplesmente nos esquecemos Dele
E apesar de tudo, tudo, tudo mesmo
Ele não se esqueceu de mim
Quando percebi que Jesus Cristo estava sempre do meu lado
Tudo mudou, tudo melhorou!
E por mais que fechemos nossos corações,
Ele é Deus e nos conquista aos poucos
Porque só Ele nos entende
E só Ele nos estende as mãos
E seja qual for o problema, fale com Deus...
Ele sempre vai ajudar você
Porque este é Deus,
E o amor Dele é tão grande e tão belo
Que Ele nos trouxe aqui pra aliviar nossos sofrimentos
E não importa quando, onde ou como
Mas Ele sempre nos acompanha, nos guia...
Sempre em nossos corações!


Larissa Martins (Crismanda da paróquia de São Pedro Apóstolo de BH/MG)

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Minha Casa...

Por Nosso grande amigo: Fernando Costa Lino

No desconsolo de um dia triste, busco na Eucaristia das horas a Tua presença que na dor parece ausência. Eis que descubro, então, pegadas de Tua presença, marcadas nas lágrimas ou no lamento que o silêncio declara. É Teu amor me abraçando e me anunciando a Tua chegada. Vinda de quem sempre esteve e nunca deixou de ocupar o lugar que em mim parecia vazio.
Quão ingênuo sou, às vezes, em não perceber o que é tão claro: que a Fé que me ilumina é luz emprestada do Ressuscitado que repercute em todos os cômodos do que sou. É o próprio Cristo acendendo todas as luzes e me dizendo pela força do gesto: "Estou em casa!" E é tão bom saber que sou casa para aquele que amo; para aquele que se tornou o tudo em minha vida; para aquele que me amou primeiro. Melhor ainda é saber que em meio à dor e recolhido no sótão de mim, descubro a luz acesa na sala do coração me anunciando que o Cristo está em casa e me chama para cear com Ele a alegria e a esperança. Correndo pelo corredor de mim que é saudade, chego até a sala iluminada e O vejo sentado à mesa a sorrí para mim. Seu olhar convidativo me chama a sentar-me com Ele e com Ele comungo a paz que tanto preciso.
Sua misericórdia me sacia a sede e me devolve a mansidão das gentes simples. É Ele quem me mata a fome de existir de um jeito certo e que me trás como sobremesa o Seu infinito Amor a me devolver o sorriso esquecido no quarto escuro de mim e que somente a Sua luz é capaz de me fazer reencontrar o que parecia perdido. Fico feliz quando descubro que nas noites escuras da alma, a casa que sou é sempre iluminada pela força desse Amor que acende em mim o desejo de continuar lutando e esperando pela manhã seguinte.
Nada em mim fica apagado quando me ligo a este Amor. Tudo em mim é luz, posta sobre a mesa, a transpassar as janelas do meu olhar e que anseiam por alcançar as casas que me avizinham. Que a luz do Cristo emprestada a mim lhe alcance e que a luz do Cristo que lhe ilumina também me alcance e nos intensifique o brilho do Amor e da misericórdia.

sábado, 2 de maio de 2009

Esperança


Ter Fé, perseverança e esperança em Deus que tudo pode mudar que todos podem Salvar!
Possuindo isso, Deus sempre nos dará força para Lutar para a construção do seu Reino!
E com certeza Ele não deixará inacabado o trabalho que ja se iniciou nos corações de cada um de nós!

Esperança , é o que não pode faltar para os que Nele creem!!!

ass: Vinicius Bernucci

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Confiram algumas fotos da gravação

Confiram algumas fotos da Gravação do nosso Cd no nosso site e no nosso Orkut

Um grande abraço a todos!!!

Criado nosso my space

Galera Foi criado nosso myspace e lá todos poderão conferir uma prévia do nosso tão esperado Cd!!
Um grande Abraço a Todos!!!

www.myspace.com/kephasbh

sábado, 25 de abril de 2009

Papel de parede

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Aguardem o lançamento em março

kp kephas

Pessoal o lançamento do nosso cd está quase chegando!!!

No final de Março faremos um lançamento solene aguardem!!!!

em breve terão em mãos o nosso CD!!

abraço a todos e fiquem com Deus!!!!

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Nosso SIM


Galera,

Quinta-Feira a noite, acabei de chegar do serviço e resolvi escutar a nossa participação no programa Irradiação da radio Gospa mira, e escutando apenas para passar o tempo, percebi o quanto Deus agiu em nossa vidas durante esse ano.
2008 foi um ano surpreendente, um cara como eu que nunca tocou bateria aprendeu a tocar razoavelmente bem, uma banda surgiu e com menos de um ano já estamos lançando nosso 1º CD, realizamos dois dias jovens, vários shows, e sempre colocando a frente aquele que nos fez esse chamado que todo dia agradeço por ter acontecido, Deus... E a cada palavra nossa na transmissão, essas lembranças bem recentes vieram passando pela minha cabeça, e essa noite de quinta-feira que estava chuvosa e chata, se transformou e eu me senti muito tocado e amado, sentindo a presença de Deus dentro de mim e mais uma vez a confirmação de que ele me quer para dar prosseguimento a sua obra, e quer também esse ministério maravilhoso a sua disposição, ele quer cada um com seu tempo, com seus instrumentos (bons ou ruins), com seus dons, com seus problemas, enfim, ele nos quer, simplesmente isso e só de aceitarmos e colocarmos a mão na massa, ele já está ao nosso lado, pq afinal, nós tocamos juntos pela amizade que temos uns pelos outros, por amor as pessoas que estão nos escutando, porém, que nunca tocamos para Deus, SEMPRE TOCAMOS COM DEUS AO NOSSO LADO... pois ele é o principal integrante do kephas.

Abração a todos e que venha 2009!!!
Que Deus abençõe sempre seus corações.

PS: Agora vou dormir tranquilo!!!!



Diego Uriel

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Águas mais profundas


No último sábado (10/01/2009) o ministério Kephas teve a alegria de participar do programa “Irradiação”, transmitido aos sábados às 10h, pela rádio católica Gospa Mira FM 105,7.
Fomos super bem recebidos na rádio e lá tivemos a oportunidade de tocar algumas de nossas músicas, partilhar um pouquinho da nossa história, conversar sobre os projetos que Deus tem nos revelado para esse novo ano e como O Senhor tem tocado nossas vidas ao longo dessa caminhada. Foi muito bacana!!!!! Agradecemos a todos da Rádio Gospa Mira pelo convite e pela acolhida!! Contem sempre conosco!! Agradecemos também a todos que participaram e ouviram o programa!! Obrigada pelo carinho e pelas palavras de fé!! Intercedam por nós!
E obrigada a Ti, Senhor, por nos dar essa graça, por se fazer tão grande em nós, tão pequeninos!
É O Senhor quem nos chama a mergulhar ainda mais fundo, colaborar um pouco mais para a construção do seu reino!!
"Eis-me aqui, Senhor, enviai-me!"
Que Deus abençoe a todos!!!

Modified by Blogger Tutorial

Ministério Kephas ©Template Nice Blue. Modified by Indian Monsters. Original created by http://ourblogtemplates.com Blogger Styles | Best Credit Card Offers

TOP